.Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Remexer gavetas

 

.Cuecas frescas

. Afinal, isto tem um final...

. Vamos a elas!

. Todos gabarolas, todos ig...

. O que os homens querem!

. Uma relação! O ponto de v...

.Cuecas sem elástico

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.Elásticos

.Segue-nos!

Elástico da Cueca... o Blog!
Segunda-feira, 4 de Junho de 2007

A "turba" cor-de-rosa

Será um facto indesmentível em breve: serei crucificado.

 

Ainda a propósito da recente "Corrida das Mulheres", essa turba cor-de-rosa que nos violentou a visão este fim-de-semana.

 

O que é uma causa nobre, nos dias que correm? O que a distingue de uma subtil manobra de "backstage" para encenar mais um acto de mirabolante e exacerbado feminismo?

 

Confusos?

 

Eu simplifico: supostamente este evento teria como intento principal promover a luta contra o cancro da mama, ou, por outro lado, sensibilizar as mentes do plácido e quasi-espongiforme público para o crescimento aterrador do número de mortes em consequência desta maleita.

 

O problema é que mais uma vez, à semelhança de um outro evento promovido pela EDP, voltamos a ter uma androfobia encapotada como mote, e tornou-se e blindou-se este evento para o tornar "man-proof". Senão, esclareçam-me: será que as mulheres não têm homens como pais, irmãos, namorados, maridos, amigos, parentes de outra ordem? Será que o sofrimento destas mulheres numa situação de enfermidade por cancro da mama não é igualmente tormentoso e angustiante para estes homens que mencionei? Para quê excluí-los e limitar o evento e a sua amplitude, reduzindo para 100 mil um número que poderia ser imensamente maior? Acaba por se tornar óbvio que esta campanha é apenas o "follow-up" de outras tantas, sendo o veículo ideal para promoção via "media" de sentimentos de feminismo passivo-agressivo. Se fosse permitida a adesão de homens ao evento, teríamos mais participantes, mais retorno, mais promoção, mais mentes abertas e sensíveis ao flagelo. Assim, apenas tivemos um campo de rosas pouco ou nada viçosas como "tumbleweeds" empurradas pelo vento do deserto sobre a aridez de uma Lisboa exangue. Exclusividade no mercado das revistas, também conhecidas como "cor-de-rosa", maratonas "cor-de-rosa", dias da Mulher "cor-de-rosa", canais com terminados em "mulher", seguros auto mais baratos para mulheres, enfim, toda uma orquestra bem afinada a compor um hino no feminino. Por mim, tudo bem, que defendam a sua causa, que procurem a supremacia, isso não me melindra, porque se trata de uma questão secular. Mas aterroriza-me enquanto ser humano que mesmo diante do engrossar do número de casualidades por cancro na mama, continuem obtusamente empenhadas em marchar pelo feminismo, ao invés de apostarem tudo numa manobra global de prevenção.

 

Porque os homens, além de todos os graus de parentesco e relacionamento que mencionei, são também médicos, enfermeiros, terapeutas, profissionais, e quantos deles dedicam as suas carreiras à tentativa ingrata de extirpar da sociedade este problema? Quantos deles não perderam já esposas, filhas, mães, namoradas, amigas? Quantos deles não sofrem hoje com a dor das suas conhecidas ou aparentadas?

 

A lógica da cegueira converteu-se em cegueira da lógica desta vez. E digam lá que os homens não são parte vital desta luta: afinal, desde o berço que todo o homem tem a sua pequena "rèverie" com mamas...

 

Tudo o que as ameace é inimigo mortal do masculino!

 

Do sempre vosso viperino,

 

(In)Verso

Estampa:
Vibe: Damien Rice - Amie
Esticado por (In)Verso às 06:56
Esta cueca | Partir um elástico | Engavetar
43 comentários:
De Cláudia Oliveira a 4 de Junho de 2007 às 10:02
Querias ir correr, era? Então organiza uma corrida de manifestação quanto a isso. Uma corrida "azul". Duvido que tenha muitos apoiantes, visto que os homens estão mais virados para ver futebol e beber cervejas. E correr ao mesmo tempo, não dá muito jeito.
Este post foi alguma manifestação da tua parte sobre o facto de não teres sido convidado? Ou devido à capacidade da mulher em organizar eventos? Ou será que não tinhas nada para fazer num Domingo de manhã?
Esclarece-me.
De InsideOut a 4 de Junho de 2007 às 10:37
Eu gosto de correr, mas sem motivo nenhum. Não acho que correr por uma coisa leve a algum lado. Se fossem pelas ruas explicar às pessoas a importãncia de fazer uma ecografia mamária ou uma mamografia anualmente, nisso poderia participar. Correr, não me parece que tenha algum benefício para o problema que é o cancro. Mas cada um faz como quer...
De Cláudia Oliveira a 4 de Junho de 2007 às 10:54
Acho que a iniciativa não tem como objectivo apenas correr. Acho que o importante é a entre ajuda das pessoas, a união faz a força, divulgar, a iniciativa por si só.
De InsideOut a 4 de Junho de 2007 às 11:28
Mas a correr não se divulga nada. Só mesmo através de trabalho na rua e da ajuda dos mass media.
De (In)Verso a 4 de Junho de 2007 às 11:31
Nesse caso só ilustras o que eu disse:

Que vedar o acesso aos homens é impedir uma maior amplitude à iniciativa.

Ou só por serem homens são cegos, surdos, mudos e insensíveis a algo tão preocupante quanto o crescimento da taxa de incidência do cancro da mama?

Esquece a campanha, não preciso de corridas azuis ou sejam lá de que cor forem. O que preciso é de observar objectividade nas pessoas que encabeçam associações com fins pretensamente nobres. E isso passa por compreender que quantas mais pessoas aderirem, independentemente de género (vulgo "sexo"), mais eficaz e abrangente será a iniciativa.

Não acho que as pessoas que todos os anos são vitimadas pela doença mereçam ser usadas como um estandarte dissimulado de uma luta de extremos.
De bela sonhadora a 4 de Junho de 2007 às 11:44
concordo sem tirar nem pôr com o post, essa corrida e quase como aquela historia de haver um dia das mulheres, ena que fixe que é, as mulheres juntam-se todas pa festarola e é um ai jesus, mas se nos temos esse dia porque é que os homens tb nao o tem? afinal queremos igualdade de sexos, ou queremps torna-nos no sexo forte?

nao há quem nos entenda :p
De (In)Verso a 4 de Junho de 2007 às 11:58
Bem!

Bela, tu és o tipo de mulher que devolve a esperança aos homens de ainda existirem mulheres com sentido de equidade!

Oh namorado / noivo / marido / companheiro da Bela: agarra-a e não a deixes fugir!

De bela sonhadora a 4 de Junho de 2007 às 14:09
ja deixou loool
mas as coisas sao assim nao gosto de ter nada so para ser melhor que os outros o so porque os outros nao tem e assim poder mostrar que sou melhor ou mais forte ou o que quer que seja :p
De Cláudia Oliveira a 4 de Junho de 2007 às 15:33
Não devias ter dito que já te tinham deixado. As mulheres é que deixam os homens.
De bela sonhadora a 4 de Junho de 2007 às 16:28
loooooooooooooool

pois deveria ser nao era, mas a verdade é que já deixei, já fui deixada e ja deixamos... c'est la vie :p este é mais giro heheheh
De Cláudia Oliveira a 4 de Junho de 2007 às 15:32
Soa-me a engate... hum
De Espanto a 4 de Junho de 2007 às 12:26
Olá,
Isto que mencionaste chama-se discriminação positiva! Se alguém quiser um esclarecimento puderei fazer um post sobre esta questão!
Em relação ao flagelo do cancro da mama e a estas campanhas, é claro que os homens também deviam participar pois o cancro da mama não é apenas uma doença feminina, mas também masculina. Há um nº considerável de homens com cancro na mama! Por outro lado, uma mulher com cancro da mama, é uma mulher que tem família, talvez marido, filhos, os maiores especialistas na área são médicos ( homens).
Na minha família já existiram dois casos de cancro da mama, a minha mãe sobreviveu, já há 34 anos; a minha prima faleceu deixando duas crianças com 5 e 7 anos. Não foi apenas ela que sofreu, mas toda a família. Puderia falar-vos muito sobre isto, mas fica para a próxima!
Beijinhos
De Pankas a 4 de Junho de 2007 às 13:49
Quem organizou este tipo de corrida esqueceu que o homem também tem cancro da mama... Talvez da próxima vez se lembrem de fazer uma corrida rosa e azul... Também para os homens não ficarem tristes...
De AlfmaniaK a 4 de Junho de 2007 às 13:55
Cá está. A verdade bem dizida... e é caso para dizer, antes isso que uma corrida azul e rosa contra o cancro do tabaco. Desconfio que chegasse alguém vivo ao fim, ou pelo menos bem de saúde... lol
De AlfmaniaK a 4 de Junho de 2007 às 13:57
Cancro do tabaco esta foi boa, confesso...
óbvio que me referia a um cancro do pulmão, enfim!
De Cláudia Oliveira a 4 de Junho de 2007 às 15:33
Vieste a tempo
De Pankas a 4 de Junho de 2007 às 14:38
Eu penso que não chegaria ninguém ao fim...ou chegariam... vendo bem a situação: a meio da corrida os fumadores paravam para fumar o belo do seu cigarro e os não fumadores chegariam à meta, estes se conseguissem passar pela nuvem de fumo que os fumadores ali estavam a produzir...

De AlfmaniaK a 4 de Junho de 2007 às 15:41
Sou gajo, e o que se me oferece dizer sobre este post, é que tem tanto de feminismo como de sexismo... portanto, não vou por aí.

O que me faz mesmo comichão nestes eventos são todas as manobras hipócritas para gerar lucros, convertidas em campanhas de boa fé e lamento o facto de as mulheres aderirem com facilidade a estas coisas...
Ok, que boa parte dos fundos serão bem empregues, mas sinceramente acho isto tudo de uma hipocrísia absurda.
De bela sonhadora a 4 de Junho de 2007 às 16:31
infelizmente é o mundo em que vivemos, falsas ajudas, falsos bons samaritanos, mundo de hipocrisias é o que é... mas nao é muito bom viver, apesar de tudo???

De AlfmaniaK a 4 de Junho de 2007 às 16:36
Preciso responder?
De PrincesaVirtual a 4 de Junho de 2007 às 15:48
Sendo eu «gaja com mamas»... e colocando as «mamas» ao lado (não ao léu)... tendo a concordar consigo...

Sim os homens também deveriam ter corrido ao lado delas... :) demasiado cor-de-rosa para o meu gosto!

Uma boa semana para todos...:D
De Cláudia Oliveira a 4 de Junho de 2007 às 18:28
Mas deviam ter corrido porquê?
De PrincesaVirtual a 4 de Junho de 2007 às 18:58
Para fazer companhia às moças oraaaa...(nada de descriminações sexuais, raciais, religosas etc etc...) :D

Se é para correr que corram todos...

Eu por exemplo vou agora a correr para o metro... :D
De Cláudia Oliveira a 4 de Junho de 2007 às 19:18
Eu lá preciso de companhia para correr. Se fosse para me carregar as garrafas de água, a ideia não era má.
De PrincesaVirtual a 4 de Junho de 2007 às 22:12
Essa das garrafas...não me tinha lembrado :D...

Bom mas isso fica para depois...um porta-garrafas suado, de bicepes e abdominais delineados...a correr ao nosso lado...

Agora de uma forma mais séria...correr por uma causa?? Porque não ???

Se os homens deveriam entrar nessa corrida...julgo que sim...concordo e entendo o autor...na argumentação.

Esta é uma doença desvastadora...para a pessoa doente e familiares.

:)
De In a 4 de Junho de 2007 às 20:15
Não concordo nada com o que foi "dito" neste post. Acho até que o exemplo utilizado para demonstrar a opinião do autor não foi muito feliz.
Independentemente de haver homens com cancro da mama (que há) esta corrida destina-se a sensibilizar as mulheres para este problema e por isso é importante ser só com mulheres, o espírito da corrida é esse. Isto é uma manifestação de mulheres, organizada por uma associação de mulheres e não de doentes e amigos (ou famílias) dos doentes! Não vejo onde está o problema, assim como acharia normalíssimo haver uma corrida contra o cancro da próstata só com homens (mas é claro que isto é um assunto tabu e isso seria impensável...)!
Podemos simpatizar com a iniciativa ou não, isso é outra coisa, assim como podemos questionar a maneira como são empregues os fundos ganhos com estas iniciativas. Mas o objectivo desta corrida é atingido: dar nas vistas, chamar a atenção! Se fosse uma corrida azul e rosa era só mais uma, passava despercebida, ninguém ligava nenhuma.
Há uma associação idêntica a esta que organiza um chá todos os anos, para as sobreviventes festejarem cada ano que “ganham ao cancro da mama”. Achará o autor que, também aqui, deveriam estar presentes os homens que fazem parte da vida destas mulheres? Não faz sentido nenhum! Neste caso as mulheres aproveitam para conviver umas com as outras e para partilhar as experiências que são só delas, independentemente dos maravilhosos maridos (ou filhos, ou irmãos, etc.) que possam ter.
Há outros eventos relacionados com o cancro da mama em que os homens estão presentes, mas este destina-se a mulheres.
Qual é o problema?!?!?!?!
De Cláudia Oliveira a 5 de Junho de 2007 às 10:26
És GRANDE!!!!! Adorei o teu argumento e o que disseste, não diria melhor.
De In a 5 de Junho de 2007 às 21:24
Obrigada por teres "percebido" onde eu queria chegar!
Acho que é tão simples...
De Casanova a 4 de Junho de 2007 às 21:08
esta era uma corrida que muitos homens gostariam de partecipar,
De In a 5 de Junho de 2007 às 00:48
Peço desculpa, não quero que levem a mal o que eu vou "dizer" mas este argumento parece o de uma criança que faz birras "mas eu também queria..."
Arrange-se outra corrida, outra manifestação, outro evento que seja para toda a gente. Mas o propósito desta foi cumprido.
Parece-me tão simples!
É que acho que este caso não tem nada a ver com pretensas rivalidades entre homens e mulheres.
Todos os problemas podem ser vistos de vários (pelo menos dois) lados. Neste caso (e não vou falar na percentagem de homens com cancro da mama porque acho que não vem a propósito) está a ser visto pelas mulheres. Quando uma mulher tem um cancro na mama é ela que sofre na primeira pessoa. Os outros podem ser solidários, podem sofrer com ela, mas temos que concordar que a dor é dela!
Quer se queira, quer não há uma parte deste problema que só diz respeito às mulheres e que elas têm o direito de querer só para elas.
Não estou aqui a defender a associação ou a corrida, sobre as quais tenho a minha opinião, estou simplesmente a defender o direito às pessoas se manifestarem como melhor entenderem dentro dos limites razoáveis.
De PrincesaVirtual a 5 de Junho de 2007 às 09:28
A questão é:

Porquê vedar o evento aos homens??? Afinal qual é o objectivo desta corrida??
Não será que os «olhares» se foquem nesta doença? Neste flagelo que atinge de uma forma brutal as mulheres e alguns homens??Apesar de as mulheres viverem esta história infeliz na 1ª pessoa a familia vive na 2ª quase tão intensamente como ela...
Basta nos colocarmos nesse papel (da familia) ou quem sabe muitos de nós já assistimos na plateia a amigos e familiares serem devastados pela mesma.

Não me incomoda em nada ver apenas as mulheres a correr...mas confesso que não partilho da opinião que apenas elas o deverão fazer...

Quanto à rivalidade entre homens/mulheres entendi como uma ironia, uma sátira (bem conseguida)...relevei ... ;)

Opiniões :)...

E com esta me vou...pq se não ainda transformo o vosso blog num fórum :)
De In a 5 de Junho de 2007 às 21:22
Parece-me que com esta corrida se pretende chamar a atenção das pessoas e pelos vistos conseguiram fazê-lo! Se a corrida fosse "azul e rosa" não estaríamos aqui a falar dela....
À sua pergunta "porquê vedar o evento aos homens?" eu respondo "porquê que não pode ser só de mulheres?"! (parece que estamos perante um caso de "pescadinha com o rabo na boca")
Quando "diz" "não partilho da opinião que apenas elas o deverão fazer..." eu respondo: eu também não sou da opinião de que apenas elas o deverão fazer. Eu sou da opinião de que elas devem poder fazer como acharem melhor, se lhes apetece correr sozinhas devem poder fazê-lo!
Quanto à sua frase "Apesar de as mulheres viverem esta história infeliz na 1ª pessoa a família vive na 2ª quase tão intensamente como ela..." só posso dizer que não se pode comparar, nem pôr em pé de igualdade.
Finalmente quero "dizer" o seguinte:
Eu, por princípio, não alinho em nenhuma destas iniciativas e desconfio do uso dado ao dinheiro (ou bens) recolhido neste tipo de eventos, por este tipo de associações, razão pela qual não colaboro, não participo, não apoio. Só que a minha posição não me impede de reconhecer aos outros o direito a manifestarem-se como melhor entenderem.
A minha posição é: eu não alinho na corrida, posso até achar a corrida ridícula, mas quem quer correr que corra! Querem fazer uma corrida só para mulheres? Então que façam!
Ainda não me conseguiram mostrar qual é o mal!
De (In)Verso a 5 de Junho de 2007 às 10:58
"Peço desculpa, não quero que levem a mal o que eu vou "dizer" mas este argumento parece o de uma criança que faz birras "mas eu também queria..."

Ilustríssima leitora: o seu argumento, além de infundado e incorrecto, parece-me apenas uma leviana tentativa de branquear pequenos pecadilhos.

A minha pretensa infantilidade, cause ela a discórdia que causar, permite-me a lucidez, a mesma que reconhece que o cancro da mama não é exclusivo feminino, a mesma que reconhece que este é um mal letal e crescente e que quantas mais mentes estiverem alerta, melhor. Será também a mesma que me permite, em qualquer altura, reconhecer que é muito mais positivo ter um efeito global do que um efeito reduzido apenas porque se quer focar o género feminino. Por mim, podem promover todo o tipo de iniciativas pró-feminino, mas não as vistam, vergonhosamente, de causas nobres. Se virmos estatísticamente, o cancro do pulmão vitima mais homens que mulheres, portanto, por essa lógica, organiza-se uma corrida só de homens. E quanto ás mulheres que também perecem vítimas do mesmo mal? Ignoramo-las? Esquecemo-las? São gente menor? Ou a sua vida valia menos porque pertenciam à minoria das estatísticas?

Haja vergonha: apesar da diferença estatística, uma morte é uma morte. E já morreram homens vítimas de cancro da mama. E esses, serão indignos de ser lembrados?

E os que sobreviveram, não terão direito a celebrar essa vitória?

Repense-se a estratégia.

Cordialmente,

(In)Verso
De Cláudia Oliveira a 5 de Junho de 2007 às 11:29
Estás a ser picuinhas, completamente.
De In a 5 de Junho de 2007 às 20:36
Caríssimo (In)Verso:

Começo por dizer que acho que sua sua resposta peca por ser despropositada. A minha resposta do "peço desculpa..." não se dirigia a si. Se interpretar bem aquilo que eu escrevi vê que a resposta se destina ao comentador/"colega" Casanova, que dizia "esta era uma corrida que muitos homens gostariam de participar ". Este foi o argumento que me fez lembrar as crianças quando fazem birras e dizem "eu também quero"! Recorri a este exemplo (da birra da crinaça) por graça.
Só aceito o seu tom porque não me conhece de lado nenhum e também não conhece a minha "escrita", pois se conhecesse não recorreria a ele porque saberia que eu tento sempre expor o meu ponto de vista sem "ofender" ou ferir susceptibilidades.
Quanto à leviandade, a existir (e este "a existir" é sublinhado porque eu nunca usei este termo), estará bem patente no fim do seu post quando se refere à "rêverie" dos homens.
Aconselho-o a ser menos impulsivo nas respostas que dá porque corre o risco de não ser correcto porque, como já referi, a infantilidade não se referia a si (nem ao Casanova, que não o conheço para o poder "acusar" de tal coisa) mas sim ao argumento utilizado no comentário do Casanova.
Por isso tenha calma...
Como resposta ao resto do seu comentário aconselho-o a ler novamente, e com calma, o que eu escrevi...
De (In)Verso a 15 de Junho de 2007 às 10:29
A escusa à resposta não é uma resposta.

Reler?

A semântica esgotou-se e não trouxe nada de novo.

"Réverie", etimologia francesa, com raíz na palavra "réve", ou seja, "sonho", não me parece ser sinónimo de leviandade. Tal comparação só pode signifcar que aos olhos de quem a faz todos os sonhos são levianos. Elucidativo.

E convenhamos que ainda não vi aqui uma resposta ao último terço do meu comentário, onde eram levantadas algumas questões tidas como pertinentes.

Uma última chamada de atenção para o meu tom, que não é novidade, não é uma das maravilhas de Portugal, mas é o tom que imprimo ás palavras. O facto de não sermos "acquaintances" realmente determina que de parte a parte não podemos interpretar as toadas do discurso, o que tem o seu potencial. Os hiatos entre a obscuridade da dúvida e a luz da compreensão têm o condão de nos conduzir a reequacionar todos os cenários. Não quero ser uma "exclusividade cá do burgo", apenas promover a reflexão profunda, mais profunda que meras considerações toldadas por noções de género (leia-se "sexo").

Fala-se de homens e mulheres, como uma guerrilha, como uma guerra fria, uma luta pela superioridade.

Esgrimem-se razões, mas ignoram a essência.

Cordialmente,

(In)Verso
De Cláudia Oliveira a 5 de Junho de 2007 às 10:26
Gostariam? Para quê? Só porque a organização foi feita apenas por mulheres?
De Angel a 4 de Junho de 2007 às 21:48
Geralmente sou muito apologista por tudo o que é feminismo, mas desta vez concordo que os homens também deveriam ter uma palavrinha a dar, ou melhor, uma perninha
Afinal estamos a falar de um problema que afecta toda a sociedade e não apenas uma parte dela. Está certo que a predominância é nas mulheres, o que nem é preciso explicar porque acontece. Mas mesmo assim continua a ser um problema para o qual todos nós temos de estar alertados.
O mesmo se passa com outros malefícios.
Eu não sou muito a favor destas corridas, porque apesar de aparecerem na televisão, não sei se têm muito efeito. Mas pronto, isso já é outra questão.
De Cláudia Oliveira a 5 de Junho de 2007 às 10:27
Qualquer coisa que se faz tem sempre efeito. Desde que se faça...

Partir um elástico

O Elástico no Sapo Spot!!


.Lixívia

unidade(s)

.Estendal