.Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Remexer gavetas

 

.Cuecas frescas

. Afinal, isto tem um final...

. Vamos a elas!

. Todos gabarolas, todos ig...

. O que os homens querem!

. Uma relação! O ponto de v...

.Cuecas sem elástico

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.Elásticos

.Segue-nos!

Elástico da Cueca... o Blog!
Segunda-feira, 10 de Setembro de 2007

Corno é singular masculino!!!!!

Corno é masculino... até no inferno!

 

 

A língua tem destas coisas que podem dar que pensar. "Corno" é masculino.
Com esta pequena introdução revelo o âmago deste post, e não tenho forma mais simpática de começar isto, senão tocando no nervo ciático directamente:
A mulher é tendencialmente infiel!

 

Admito que a premissa é frágil, mas não consigo deixar de observar que de facto o género feminino tem uma facilidade singular em trair, enganar, mentir ou iludir até ao extremo que, à sua data, mais lhe convém. Se eu quisesse abordar isto com números, sentir-me-ía melhor, mas não há! Portanto somos todos iguais. Homens e mulheres são, para todos os efeitos, infiéis em igual número. Ainda assim não consigo deixar de debitar alguns reparos nos comportamentos sociais que sugerem haver uma tendência clara para que a mulher seja infiel:

  • 1º A mulher vive numa falsa ideia de segurança. Afirma sempre que sabe o que quer. Antes, na véspera e depois, mesmo quando a sua opinião muda, a mulher raramente admite que podia ter dúvidas sobre o que queria.
  • 2º O estigma social que a mulher tem vivido, fez dela uma pessoa sugestionável. O ambiente, as palavras, os jogos levam as mulheres a experimentar o que ontem elas não fariam.
  • 3º A mulher especula muito. Esclarece pouco. E é vingativa. (isto numa relação é perigosíssimo)

 

Detesto generalizações fáceis e, para manter isto nos eixos, poderia concordar sem questionar a frase: "Não há mais ou menos homens/mulheres infiéis... há pessoas infiéis!", mas também detesto hipocrisias fáceis.
O Homem (entenda-se homem/mulher) é um ser sexual. A partir daqui todos somos infiéis, porque a consciência sexual não obedece aos cânones morais. O que distingue uns de outros, é exactamente a sua segurança consigo próprio. Os homens querem mandar quecas. Não o negam. Isto é salutar.
As mulheres também querem mandar quecas. Mas admitem?
Uns sabem o que querem e agem de acordo com isso. Outros afirmam que sabem o que querem e têm conflitos na forma de agir.
Qual é a mulher que não sabe mentir? Qual é o homem que sabe mentir? Quem tem mais orgulho nesta questão(?), eles ou elas?
Quase que é anedótico, mas mais depressa se apanha um corno, que uma mulher fiel!!!!

 

Os homens? Nós somos patéticos. Se queremos, vamos! Se não queremos, não vamos! Tão simples como isto. Assumimos um lado sexual que faz de nós pessoas não fiéis, porém, não necessariamente infiéis. O homem que é infiel raramente expõe essa realidade. Já as mulheres... O homem infiel, raramente se preocupa em sustentar a mentira, é um 8 ou 80! Ou fica com a outra, ou com a respectiva. O homem infiel é o idiota que mantém a fachada do que não lhe serve... mais depressa se descarta da sua relação moral, do que viver com ela!

 

Mais uma vez, isto não se aplica a todos, mas há linhas que facilmente se ajustam a quase tudo o que nos rodeia. E em jeito de remate, que se entendam os 3 pontos comportamentais:

  • 1º Ao se acreditar falaciosamente que se sabe o que quer, é meio caminho andado para, ao tropeçar na realidade, a falsidade dessa segurança vir ao de cima.
  • 2º A influência de terceiros é determinante no comportamento. Ou são as amigas que já fizeram, ou é a palavrinha doce do conquistador mal intencionado. Ser-se sugestionável facilita que estas coisas levem a melhor sobre a pessoa que não sabe o que quer.
  • 3º O comportamento vingativo da mulher funciona com réplicas. Se elas acreditam que ele lhes é infiel, elas respondem com a mesma moeda (confesso que não sei bem para quê?), na tentativa de provar alguma coisa...

Abstenho-me de enumerar ou referir os casos infelizes das mulheres que são infiéis para salvar a relação... enfim!
E fica a pergunta: Se o importante é a cumplicidade, a confiança, o amor, etc... para que raio serve o argumento/desculpa da infidelidade: Compensação sexual?


AlfmaniaK

Já agora, deixem o vosso voto aqui à direita... nós deixamos!

Abaixo, bem juntinho a mim está a oposição feminina, a Morena não se ficou e adoptou a frente politicamente correcta desta questão! Tomem nota de ambos os posts e opinem.

Estampa: Desconfiado
Vibe: Edvard Grieg - Peer Gynt Suite#1.IV Dança de Anitra
tags:
Esticado por AlfmaniaK às 21:07
Esta cueca | Partir um elástico | Engavetar
40 comentários:
De Miss Bradshaw a 10 de Setembro de 2007 às 22:20
ola! =)
ora bem....ca esta mais um post do Alf k tenha muito que se diga! nao acho que um dos generos seja mais fiel/infiel que o outro, mas que as mulheres mentem melhor isso mentem! n sei deve ser genetico, conseguimos inventar uma mentirona extranhamente credivel, em questao de segundos! será do treino de as mandar aos pais desde miudas pekenas quando dizemos que "vamos ao cinema com a sofia" e vamos passar uma tarde aos beijinhos com o joao? x) ja os homens.....apanham-se depressinha...se bem k alguns especimens começam a aperfeiçoar a arte!
agora coisas serias, acho assim..como dizer...ESTUPIDO ir pa cama com outro numa de "salvar" a relaçao! pakê isso? para se sentir o remorso estupido de ter posto os palitos a pessoa de quem se gosta? e sera que se gosta mesmo? ao ponto de precisar de pular a cerca para o perceber..duvido mt k isso seja gostar!
nunca pus os palitos a ninguem, por uma questao de respeito.a velha maxima "nao faças aos outros o que nao gostas que te façam a ti" ( e ja fizeram lol) mas tmb nao digo que nunca acontecerá. ah e tmb nao acho que fazer o mesmo que ele pondo-lhe uns belos....seja muito esperto! seria ir po nivel dele! =) lol
ok axo k ja me alonguei!! mas eu sou assim....falo demais! x)

como n podiam faltar: ********
De AlfmaniaK a 11 de Setembro de 2007 às 02:18
Começo com ***************** (só para ser original) e um olá!
Sobre o que escreves, bom esses casos que servem para salvar relações, são as infidelidades idiotas que existem. Ou porque assim sustentam a pimenta da relação número um, como que obter a satisfação por fora para garantir o bem estar por dentro... enfim! Daí me ter abstido de comentar esses casos.
Sobre o mentir, tal como reconheces, elas habituam-se cedo a mentir, a enganar, a iludir... Então, que se defina traição, e vejamos se mentir não é trair? Se elas são pródigas nisso... não serão pródigas na infidelidade? Upa upa!... mulheres... sacaninhas!
Até à próxima e beijinhos por extenso ,e *********** figurativos!
De Miss Bradshaw a 11 de Setembro de 2007 às 12:38
olaa!

ora bem, acho que estás a confundir um pouco as coisas! pareces misturar mentir,atraiçoar e ser infiel tudo no mesmo saco. ok que mentir é trair a confiança ,atraiçoar a pessoa, mas isso pode ser em variadissimos assuntos! e nem é preciso ser uma questao do casal,pode mesmo ser entre amigos. ja ser infiel, que tambem engloba traiçao, na minha opiniao, é entre o casal quando alguem pos um par de palitos!
as mulheres podem ser prodigas a mentir, mas nao tem que ser necessariamente infiel.
confuso?.........lol

beijinhu (hoje fui forreta) x)
De AlfmaniaK a 14 de Setembro de 2007 às 15:03
Também podia atirar ao ar que os homens são prodigos a conduzir, mas não têm que ser necessariamente pilotos de fórmula1. Além de falsa, esta afirmação é absurda!
Atenção que eu não afirmo que as mulheres são "todas" infiéis... apenas que são mais susceptíveis de o serem quando comparadas com o sexo oposto.
Sobre a mentira, a arte de mentir é o factor primo que sustenta a condição de traição numa relação afectiva entre homem e mulher. A infidelidade está directamente relacionada com a mentira, e tal como dizes... que as mulheres mentem melhor, lá isso mentem!
Desculpa a demora na resposta... e sem forretices: ***********
De Cláudia Oliveira a 12 de Outubro de 2007 às 18:30
ja há post novo...
De mteresinha a 11 de Setembro de 2007 às 15:10
boas !
isto está engraçado..
acho que a infideliade é uma questão pessoal e de carácter.. reparem que quando uma pessoa dá umas facadas na relação é porque a mesma já não anda muito bem, ou então quem dá a facada não sabe o o que quer ou quer tudo e isso não agrada toda a gente...
Em relação às às mulheres mentirem melhor,isso é uma palhaçada, conheço alguns homens que são uns mentirosos do cara****, agora vocês é que gostam muito de se fazerem de ingénuos lool...
pela parte que me toca, nunca trai ninguém, sobretudo porque me estaria a trair a mim..
De AlfmaniaK a 14 de Setembro de 2007 às 15:02
Concordo completamente. O carácter e a personalidade de uma pessoa condicionam a capacidade de se ser fiel ou não! Em todo o caso as razões que apresentas para haver infidelidade numa relação são exactamente aquelas que eu acuso em algumas mulheres por estas não terem o discernimento de separar as águas. Partem dos pressupostos errados de que: 1º sabem, 2º percebem e 3º vão fazer o melhor para elas... e porquê?
Eu diria porque elas não sabem o que querem, e não o admitem. Aliás, isto é um reflexo do vosso argumento de ouro: "Ele tem a mania que tem sempre razão!", as mulheres parecem ter uma necessidade de provar que têm razão (alegando que somos nós que insistimos nisso), sempre. E isso fragiliza a sua pessoa.
Pela parte que me toca... prefiro passar por ingénuo do que por alguém que tem desculpa para tudo!
Mentirosos há em todo o lado, aliás toda a gente mente... uns melhor que outros. Mas a fama não está associada aos género masculino. (agora fui básico... eu sei!)
Jinhos e volta.
De Insolente a 12 de Setembro de 2007 às 20:19
Gostei disto, vou ficar cliente assíduo. No meu entender os homens nunca têm culpa, se formos infiéis será sempre por sedução pouco vergonhosa de uma mulher (comprometida eventualmente) disposta a tudo para nos ter. Ser homem é então escapar às redes que nos são lançadas diariamente para nos mantermos fiéis. Não sei se será bem assim mas quero acreditar que sim. Ora então um grande bem haja
De AlfmaniaK a 14 de Setembro de 2007 às 15:00
Bem... é preciso ter cuidado com essa posição, porque facilmente se lê: O homem é um fraco e ponto!
Claro que cada um opta por uma perspectiva e eu recuso-me a considerar-me como vítima nas mãos delas. ...ou então sou eu que não sou cobiçado por outras mulheres e quero acreditar no que afirmo.

Abraço!
De Crestfallen a 13 de Setembro de 2007 às 09:36
Como disse no comentário do texto anterior. O apetite sexual é igual em ambos os sexos.

Quem mente mais é o homem, mete por tudo e por nada. Mas quem mente em assuntos sérios é a mulher.

Quanto a trair, não pode a haver dúvidas que o homem trai com muito mais facilidade, traímos sem saber porquê. Traímos e só depois é que pensamos no erro cometido. A mulher trai, mas a traição dela é mais grave, pois é premeditada, é por vingança.
De AlfmaniaK a 14 de Setembro de 2007 às 14:59
Julgo que ambos mentem por tudo e por nada. E sobre o trair... sempre achei que é mais fácil para elas trair, pelo simples motivo que basta estalarem os dedos e conseguem ter à mão testosterona pronta para a acção. Já o homem, bom... se não tiver um palmo de cara, terá que estalar muitas vezes, esperar por um estalar... ou pagar para ouvir um estalar de uns dedos.
E atenção à generalização, elas podem premeditar o acto, porém, não necessariamente por vingança. Às vezes é por motivos mais idiotas ou genuínos (tipo como os homens que traiem).
Abraço!
De mteresinha a 13 de Setembro de 2007 às 14:12
quem mente em assuntos sérios é a mulher? por favor... façam justiça às calças que vestem...trair a confiança da nossa parceira não é um assunto sério? e já agora se trairem por vingança é sinal de quem alguém já meteu a pata e outras coisas mais na poça..
se as mulheres são assim tãos maquiavélicas não entendo porque as desejam tanto...
fuiiiiiiiiii!
De AlfmaniaK a 14 de Setembro de 2007 às 14:57
Não vás!!!!!! Ficaaaaa!
Só uma pergunta: O facto de se ser infiel por vingança, faz do acto algo mais legítimo? Se têm motivos para se vingarem, se alguém já meteu a pata na poça, porque raio de carga de água preferem a vingança e manter a relação? Podiam partir para outra, e isso seria bem mais sensato!
Se, numa relação, o importante é a cumplicidade, a confiança, o amor, etc... para que raio serve o argumentar a infidelidade com o objecto vingança? O objectivo é resolver o que está mal ou agravar?
Fica a pergunta, portanto volta para responder.
De sextrip a 1 de Outubro de 2007 às 17:07
« por favor... façam justiça às calças que vestem...»

JIZASS... que comentário tão machista !!!
De antiego a 13 de Setembro de 2007 às 21:53
Matematicamente, as mulheres serão tão infiéis quanto os homens. A não ser que os homens andem a comer só descomprometidas e putas, e as mulheres andem a comer só playboys solteirãos.
Uma coisa é certa para mim: é incomparavelmente mais fácil uma mulher ser infiel, de graça.
De AlfmaniaK a 14 de Setembro de 2007 às 14:56
Bolas!!!!
O teu poder de síntese cada vez me surpreende mais! É isso mesmo.
Abraço!
De IDS a 14 de Setembro de 2007 às 12:11
Após leitura atenta de ambos os posts e respectiva exegése e, para complementar, apreciação dos dados da "sondagem" levada a cabo neste âmbito, as conclusões tornam-se quase ridículamente óbvias.

Diz Alfmaniak que o homem ("h" minúsculo, género masculino, antes que me acusem de chauvinismo) é uma criatura de impulsos que difere da mulher ("m" minúsculo, género feminino, antes que me acusem de feminismo). Até aqui não se percebem quaisquer novidades apocalípticas ou quaisquer profecias do Armagedão.

Acresce a isto, na opinião do mesmo autor, que o impulso masculino é quase estritamente libinal e dir-se-ia mesmo amoral, não porque lhe seja avesso, mas porque não envolve sentimentalismos e questões de moral num afluxo, num assomo de ânsia sexual. Concordo parcialmente, permitindo-me uma adenda: o Homem que trai não o faz mentindo-se a si mesmo, como advoga a autora do post seguinte, a ilustríssima Morena, uma vez que - lá está - não envolve esferas de moralidade e sentimentalismo num cenário mais amplo que afinal, e sem ser redutor, é apenas sexual, ou em uma palavra: hedonista.

Aqui, a mulher que tanto faz por propalar uma pretensa supremacia - mais uma vez a ilustríssima Morena faz alusão ao fabuloso "multi-tasking" feminino - acaba por extremar posições e incorrer num erro digno de uma patologia mental. Não é ofensa gratuita a mulher alguma o que escreverei de seguida, antes uma mera constatação do óbvio.

Li em ambos os posts, ainda que de modo mais explícito em um deles, que por vezes se argumenta que a traição (vide "queca mágica") pode salvar a relação. Discordo. E só uma mente que confunde moralidade e sentimentos poderia num cenário de deslealdade procurar uma tão descabida quanto inaplicável justificação para o acto que acaba de cometer. Assim sendo, acabei de o dizer e de ilustrar a diferença histórico-temporal entre homens e mulheres, tal como o fez, de modo eloquente, Alfmaniak: o homem é sexual; a mulher é sugestionável.

Dizer o contrário é negar o evidente, e basta verificar qual dos géneros segue a par e passo as tendências da moda, e esta é, sem sombra de dúvidas, uma sugestão lançada para os média por um punhado de tipos que sabem coser umas baínhas e pouco mais. As mulheres vão atrás do "ouvir dizer", do "diz que disse", do que vem em letras garrafais nas capas das publicações ditas exclusivamente femininas e que não passam de 80 páginas de publicidade de página inteira contra 20 páginas de artigos medíocres sobre "o que dizem as suas amigas nas suas costas" (óbvio que dizem o mesmo que você diz delas, cara leitora, é coisa do eterno feminino...).

Posto isto, o homem não nega que trai porque ao ver a sinuosidade de algumas silhuetas femininas se acomete de quase priapismo. Existem hormonas em sobretensão que precipitam o homem para a saciedade da líbido.

A mulher, por seu turno, invoca milhões de motivos mirabolantes, todos eles muito nobres e grandiloquentes, mas nenhum realmente válido. A verdade é que o fez por vaidade (afinal escutar as palavrinhas doces é alimentar não o ego mas a clássica e quase paleolítica vaidade feminina), ou porque ouviu dizer que o tipo era um autêntico maratonista-contorcionista, ou porque o tipo é uma celebridade e ir para o saco com um tipo mediático fica bem no currículo da "queca"... mas quando questionada acerca da sua motivação, eis que responde: "Para salvar a relação tive que o fazer para perceber o quanto te amo, blá, blá, blá... (horas e horas de "idle chatter") e que no fundo quero estar contigo, blá, blá, blá... (mais horas e horas de "idle chatter") e que se o fiz, foi por ti, foi por nós".

Ou seja, rejeitam responsabilidades para evitar o vulgar "peso na consciência" e colocam o ónus afectivo no seu companheiro, que perante tal demonstração de amor e altruísmo (afinal, foi para salvar a relação) se vê sob coacção para perdoar. A chantagem emocional, um dos subterfúgios femininos mais desesperados, como forma de legitimar o ilegítimável.

E como se pode salvar uma relação destruindo a confiança, o respeito, a cumplicidade? São desculpas já ancestrais e erodidas.

De AlfmaniaK a 14 de Setembro de 2007 às 14:55
Enfim!... De tudo o que se possa dizer, fico grato pela honra de tal resposta quanto à questão colocada.
Tudo o mais que poderia dizer seria supérfluo.
Não querendo ser arrogante e/ou prepotente, convido à continuação atenta deste espaço que se pretende argumentativo e fundamentado nas discussões.

Obrigado caro ou cara IDS.
De mteresinha a 14 de Setembro de 2007 às 16:09
Concordo, a infidelidade nunca é legitima mesmo por vingança. Suponho que qd o fazem nestas condições, seja para dar a provar o chá que beberam e certa/ não gostaram.. não é bonito mas também não condições para cobrar, certo?
Em relação ao insistir numa relação que não dá mais, acredito que não seja só caracteristico das mulheres..infelizmente muitas pessoas ficam paralisadas no tempo a deitar fora horas, meses, anos de vida que não se podem desperdiçar..
De AlfmaniaK a 14 de Setembro de 2007 às 16:33
Caso para dizer... é a vida!!
Enfim.
De kika a 14 de Setembro de 2007 às 17:46
Deve conhecer muitos homens e mulheres fiéis e infiies para fazer tal afirmação...
De AlfmaniaK a 20 de Setembro de 2007 às 03:35
Quantas vacas preciso conhecer para poder afirmar que as vacas não voam?

Vejamos, apenas foi apresentada uma perspectiva sobre os comportamentos humanos. Se a(s) perspectiva(s) é/são válida(s)...? Bom!... Uma opinião vale o que vale.
Pessoalmente não defendo que as mulheres sejam mais ou menos infiéis, mas acredito que é bem mais fácil para elas trairem! Apenas sustento essa opinião, o resto vem por acréscimo...
E não fiz nenhum inquérito ou avaliei as pessoas que conheço. Baseei-me no senso comum e no que a minha observação sugere... só isso!

Em todo o caso, essa questão que colocas é inconclusiva, uma vez que nem tu conheces pessoas suficientes para poder afirmar o contrário do que aqui é exposto... a menos que tenhas feito algum estudo sobre a matéria, e sendo assim convido a que exponhas aqui a tua conclusão! :)
Se não conheceres pessoas suficientes, ou não tiveres nenhum estudo, ainda assim ficas convidada a participar com a tua opinião.
Bjs
De CRIS a 16 de Setembro de 2007 às 19:28
Chega uma pessoa de Cabo Verde onde não há "estresse" o logo encontra um post destes....na verdade, muito interessante, mas extremamente dual e maniqueísta na abordagem da posição do homem e da mulher em relação ao tema em questão.
Acho que tanto o homem como a mulher podem traír na mesma medida. Não há uma contabilidade feminina ou masculina actualmente, que refira que um ou outro gènero são mais adeptos da coisa; penso contudo, que as pessoas são infiéis porque não estão plenos numa relação e isso acontece por variadíssimos motivos que caberá a cada um analisar reflectir e eventualmente, apostar numa posição concreta . E isto exige coragem! A maior parte, deseja apenas ter e manter o melhor de dois mundos: a aventura e o porto de abrigo. E isto exige estômago! Para ele e para os que estão envolvidos na trama, é claro!
penso também que em relação à ifidelidade se misturam muitos conceitos e será sempre um tema longe de ser pacífico....
Eu acho de qq forma, que o sexo não é neutro e que às vezes vale a pena mergular no sentido das coisas.

Beijos para os dois autores!
De JH a 20 de Setembro de 2007 às 03:18
Bons blogs. Boas conversas!
De AlfmaniaK a 20 de Setembro de 2007 às 03:22
Obrigado!
Mas isto são horas de fazer comentários?!
De AlfmaniaK a 20 de Setembro de 2007 às 03:39
Uma posição politicamente correcta! Bravo!

Partir um elástico

O Elástico no Sapo Spot!!


.Lixívia

unidade(s)

.Estendal