.Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Remexer gavetas

 

.Cuecas frescas

. Afinal, isto tem um final...

. Vamos a elas!

. Todos gabarolas, todos ig...

. O que os homens querem!

. Uma relação! O ponto de v...

.Cuecas sem elástico

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.Elásticos

.Segue-nos!

Quinta-feira, 16 de Agosto de 2007

Era uma vez...

 

Era uma vez...
«- Olá! Sou o André... e tu ?...»
 
E está feito o 1º contacto. Daqui para a frente começa o jogo de sedução. Ele procura agradar, satisfazer... simula tudo o que for necessário só para a ter. Ela, tratada como uma princesa, um centro do mundo, deixa-se ir. A relação é consumada. Sobretudo assumida. Deixaram de ser dois e passaram a ser um só!
Contudo isto não é para sempre, o que se segue é uma impressão de afastamento, desinteresse... a comparação do antes com o depois!
«- 1º era a mais linda. Ouvia “amo-te” de manhã, à tarde e à noite... agora nada! Mudaste muito!!!»
Este é o princípio da ruptura, e acaba-se o “Era uma vez...”!
 
 
Este tipo de história corresponde a um pequeno universo. De facto as mulheres “ditas” modernas já seduzem mais do que são conquistadas, porém este conto ainda se repete. A relação parece chegar a um fim cujo culpado é o homem, e porquê? Porque não soube manter a conquista.
Claro que uma vez concluído o processo de conquista, a arte de cortejar fica arrumada no baú, embora se justifique a sua manutenção, esta fica reservada para novos episódios e não para os episódios antigos. Assim, o gajo, deixa de apupar a sua “donzela”... mas esta nota claramente o efeito passivo da questão. De repente deixa de se sentir mimada... e de quem é a culpa? Dele! Porque não soube manter o galanteio. Somos uns sacanas...
O que me faz comichão é:
Já ocorreu a estas senhoras que ele nunca teve de ser conquistado? Que ele não sente falta de mimos, porque nunca os teve da mesma perspectiva que a senhoras? Como acto de conquista? Mas a culpa é dele!!! Ele é que mudou!
As relações, neste pequeno universo, são concretizadas do homem para a mulher. É ele quem tem a pseudo-obrigação em conquistar... e mais tarde isso reflecte-se na ausência do processo de conquista, e pior que isso elas habituam-se ou acomodam-se à não necessidade em manter o que têm, ou por outras palavras... em conquistá-los! ...talvez porque não tinham que o fazer, afinal as conquistadas eram elas! Ou não? São umas sacanas...
AlfmaniaK
Estampa: Ninja!
tags:
Terça-feira, 14 de Agosto de 2007

Preciso de um homem diferente! WTF?

As mulheres procuram um homem diferente. WTF ? Diferente em quê, pergunto-me.  Não são todos iguais? Básicos, gostam de mamas grandes e gostam de futebol. Uma conta recheada é diferente? Sendo assim está explicado. Ou quando dizem "preciso de um homem diferente" referem-se a um homem sensível ? Para que querem as mulheres um homem com sensibilidade se isso só dura os primeiros meses?

 

Não existem homens diferentes. Existem gays, ricos e fanáticos do Benfica. Escusam de andar a procurar, de se lamentar que eles são todos iguais. Desde que sejam bons de cama e não vos envergonhem no restaurante dêem-se por contentes. Não procurem o que não existe, minhas amigas.

 

Ou como diz alguém: Antes sozinha que muito mal acompanhada.

 

Parem de se lamentar. Fiquem pela realidade.

Esticado por Cláudia Oliveira às 10:56
Esta cueca | Partir um elástico | Ver elásticos partidos (11) | Engavetar

.Estendal