.Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Remexer gavetas

 

.Cuecas frescas

. Afinal, isto tem um final...

. Vamos a elas!

. Todos gabarolas, todos ig...

. O que os homens querem!

. Uma relação! O ponto de v...

.Cuecas sem elástico

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.Elásticos

.Segue-nos!

Terça-feira, 19 de Junho de 2007

Amizades "amor-ódio-tensão sexual"

Uma estirpe frequente dessa patologia que denominamos de "amizade", com nuances mais ou menos cor-de-rosa, é a complexa, misteriosa e desafiante "amizade amor-ódio-tensão sexual". Prova disso mesmo são as aproximações nada furtivas entre amigos, já entre o despudorado e o óbvio, com tiradas ansiosas e exigentes, em redondéis de palavras atiradas a esmo como insinuações, provocações e outras complicações com mais "ões" pelo meio.

 

Muitas vezes dissimulada por uma aparente incompatibilidade de personalidades, é, na verdade, o oposto o que sucede. Diz-se de há muito que os extremos se atraem, e essas lutas, essas refregas com um afastamento teórico no final só reforçam a lógica que os denuncia: no final existe sempre reconciliação, esse "fazer as pazes" sempre mais caloroso que da última vez, sempre mais próximo e quase diria… físico.

 

As sequências de diálogo entre eles são autênticas pérolas, com muita ternura e elogio mútuo entrecortados por subtis nuances de sedução que nenhum quer admitir, não tanto por vergonha, mas por medo de estragar o jogo, que, como qualquer brinquedo, só funciona inteiro. O pior é que também só tem emoção durante um tempo limitado que por norma é assaz curto… Ainda há uns dias observei esta sequência, onde um dos "amigos" era casado e a outra, de bastante jovem ainda, solteira:

 

Ela: Amigo, não sei o que faria se não fosses tu. Só me apetece deixá-lo, ele não me compreende.

 

Ele: Isso passa, isso passa. Vais ver que ele ganha juízo.

 

Ela: És um querido. Adoro-te. Precisava que ele fosse mais como tu. Se houvessem mais homens assim…

 

(palha e mais palha…)

 

Ele: Aborrecias-te (risos). Sou demasiado exigente para ti.

 

Ela: És é convencido.

 

Ele: E tu és a Miss Modéstia, não?

 

(troca de galhardetes…)

 

Ela: Que parvo! Olha, quem não está bem que se mude!

 

O jovem levantou-se e afastou-se uns quantos metros, e ficou a olhar o rio. Menos de um par de minutos depois ela colou-se a ele com quantas forças tinha a pedir desculpa e a encher-lhe pescoço e bochechas de beijos, com algumas trajectórias rasantes e intencionais aos lábios. Se ele não percebeu? Percebeu claramente, e como bom amigo que é apenas se ficou pela palmadinha suave na nádega finalizando num gracioso aperto. Um exemplo claro de um menino bem comportado, não concordam?

 

Portanto ficam ilustrados aqui os diversos timings desta patologia que pode, em última instância, ser fatal para os compromissos:

 

Amizade

Aproximação

Sedução / Tensão Sexual

Afastamento

Reconciliação / Tensão Sexual

 

O que vos parece este tipo de amizade, que não sendo um cor-de-rosa gritante, fuchsia, não deixa de ser um tom pastel do mesmo rosa?

 

Na virtualidade, é uma realidade recorrente, mas nem sempre admitida...

 

(In)Verso

Estampa: Sharp & Shiny
Vibe: Soil - Broken Wings
Esticado por (In)Verso às 14:06
Esta cueca | Engavetar
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

.Estendal