.Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Remexer gavetas

 

.Cuecas frescas

. Afinal, isto tem um final...

. Vamos a elas!

. Todos gabarolas, todos ig...

. O que os homens querem!

. Uma relação! O ponto de v...

.Cuecas sem elástico

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.Elásticos

.Segue-nos!

Quinta-feira, 18 de Outubro de 2007

Mulheres: conduzir ou não conduzir? Eis a questão! (que nós homens colocamos e com cautela)

....socorro!??

 

 A condução.
Podia abordar a capacidade de dirigir, ser condutor ou líder de algo, mas vou falar da condução propriamente dita. Carros, peões, sinalização e afins...


Conheço muita gente boa ao volante e toda a minha opinião é reflexo da observação directa do meu universo, e da experiência empírica (quando me aventuro a viajar numa viatura...  em particular conduzida pelo sexo feminino). De tudo o que se me oferece dizer, começo pelo seguinte: as mulheres confirmam os ditos populares  "Mulher ao volante, perigo constante", "Mulher a conduzir, tudo a fugir", etc. etc.!

Posto isto, vejamos a minha perspectiva:


Há vários tipos de condução, e vários tipos de condutores, e eu apenas vou abordar, segundo o género, os tipos de carácter negativo.
Sei que não há melhores ou piores... sei que não se justifica qualquer generalização, porém e segundo o que afirmei ao início, a minha experiência, directa e indirectamente pensada sobre o assunto, resultou num parecer que define homens e mulheres ao volante, dentro destes tipos:

Homens são mais arriscados!
Mulheres são mais ofensivas!

 

Por arriscados entendo que são mais dados à inconsciência das consequências. Altas velocidades, contra-ordenações, álcool, enfim... tudo o que envolva o condutor como se não houvesse nada à volta, ou responsabilidades que exigem resposta, não há receio em colocar-se em risco, antes pelo contrário, há adrenalina!

Por ofensivas entendo como sendo uma condução pouco ou nada defensiva, onde o princípio de prioridade é levado à letra, onde a ideia de a razão estar do seu lado é absoluta.

 

Em ambos os casos, não partilho de nada que possa ser benevolente. Gosto de conduzir e gosto de andar em segurança, mas realmente não sei, destes, qual devo ter mais receio... penso que delas!

 

Porquê?
Porque uma condução baseada no princípio "se bater o outro é que paga" assusta-me imenso, principalmente se andar a pé. Primeiro porque este tipo de condução implica na maior parte das vezes um terceiro (que podia ser eu - é esta a parte que me mete medo), a condição de vitimização tão reconhecida à mulher, só facilita que caso eu me descuide com a minha viatura, ou ao atravessar a passadeira num vermelho, que uma mulher... enfim, decida aplicar o código com todo o rigor e ou me bata de lado, porque tinha prioridade, ou me "passe a ferro" porque eu não tinha nada que estar ali no meio da estrada.

 

Por outras palavras, aos senhores sugiro que invistam em carros, o mais tardar, de 1987... talvez assim se acalmem. Às mulheres sugiro que ao tirar o código, tenham também aulas do código civil. Só naquela...

AlfmaniaK

[Em baixo fica a opinião da Mau_Feitio... com uma perspectiva claramente virgem deste mundo que, aparentemente, pertence aos audazes e não aos medrosos... como eu!

Vá lá, leiam e digam de vossa justiça: afinal quem é mais perigoso? Eles ou elas?]

Estampa: oniricamente medroso
Vibe: Driving you slow - The Gift
tags:
Esticado por AlfmaniaK às 17:05
Esta cueca | Partir um elástico | Engavetar
33 comentários:
De margarida a 14 de Março de 2008 às 10:55
Eu acho que este é um rassunto que está a ser abordado de uma maneira altamente machista e fora de época.
Por várias razões, não gostei do raciocínio nem dos comentários pouco sérios querendo disfarçadamente denegrir a imagem das mulheres na sociedade, até parece que nasceram numa estufa e que nunca andaram de carro com a sua mãe na maior segurança.
Deixam de ser menores e tiram a carta de condução mostrando logo os seus dotes de machista na estrada a passar por cima de tudo e todos, excluindo imediatamente da estrada as mulheres e os condutores mais velhos, sei do que falo.
fiquem bem e tenham mais respeito por quem lhes lavou o rabo e os levou à escola, e deu a sua vida por si.
De margarida a 14 de Março de 2008 às 10:59
Esqueci de dizer que achei ESTICAR O ELÁSTICO muito criativo eu própria uso essa expressão para quem quer abusar e não respeita os outros, quer dizer que está a esticar o elástico, mas cuidado, que os ELÁSTICOS quando são muito esticados tambem se partem.
Fica em Paz

Partir um elástico

.Estendal